Notícias ABCE

Reforma da Eletrobras

06/11/2017
Fonte: Correio Braziliense

A Eletrobras começou a se preparar para a privatização. Ontem, em edital de convocação para uma assembleia extraordinária assinado pelo presidente do Conselho de Administração, José Guimarães Monforte, a companhia propôs um reforma integral do estatuto social. Entre as modificações sugeridas estão melhores práticas de gestão e de governança corporativa e compromisso com regras internacionais anticorrupção.

Na opinião de Ricardo Medina, advogado da área de infraestrutura do L.O. Baptista Advogados, o teor do edital pretende preparar a empresa para a privatização. “Há elementos e regras que visam atender às exigências da SEC (Securities and Exchange Commission, órgão equivalente à Comissão de Valores Mobiliários)”, destacou. “Estão mirando os critérios exigidos lá fora para fazer investimentos aqui. Isso vai em linha com a proposta do governo de pulverização das ações da Eletrobras”, comentou.

Para o presidente do Balcão Brasileiro de Comercialização de Energia (BBCE), Victor Kodja, a empresa está buscando se adequar a práticas de mercado mais modernas em termos de governança e gestão. “Há vários itens com referência a exigências de compliance, como se adequar ao FCPA (Foreign Corrupt Practices Acts, uma lei anticorrupção dos EUA). Sem dúvida, está focando investidores estrangeiros”, analisou.

O presidente da Associação Brasileira de Companhias de Energia Elétrica (ABCE), Alexei Vivan, considerou o edital uma atualização do estatuto. “Não me parece ter relação com a intenção de privatização, até porque o estatuto poderia ser alterado posteriormente à eventual privatização. De qualquer forma, ter um estatuto social atualizado e conforme as práticas modernas contribui para a atratividade da empresa. Não só para uma eventual privatização, mas também para a negociação das ações em bolsa de valores”, afirmou. (SK)



[ topo ]